"Quero poder andar por ai.Conhecer lugares e pessoas. Quero amar e dizer que o amor não é apenas um conto, Mais uma realidade."

quarta-feira, 6 de maio de 2009

CONFISSÃO!!!!!!

Eu nunca tinha me apaixonado daquele modo....nunca tinha conhecido uma pessoa que pudesse me mudar tanto... me mostrar tanto....que pudesse ser capaz de me tirar de mim...de me fazer entrar em mim...me sentir a pessoa mais feliz do mundo...
Eu a Amava com o Amor que não existe...e por ama-la daquele modo eu o fiz existir...
"Te amo" dizia quando estávamos sozinhos...quando estávamos caminhando..quando estávamos nos amando...quando estávamos no meio de um monte de gente...no meio do nada...eu era capaz de subir na mais alta montanha e gritar a todos os pulmões que a amava...
Eu podia sim ouvir os sinos badalarem quando estávamos juntos...eu podia sim sentir o vento soprar contra nosso corpo o ar que protege os amantes...somente os filhos da paixão...os filhos do desejo...
Eu nunca havia amado tanto e tão loucamente como a amei...como a desejei...
Pensava nela varias vezes ao dia...a via em todos os rostos...em todos os lugares...o seu cheiro passou a ser meu ar...meu oxigénio....
Eu tinha descoberto os segredos do belo...os segredos que não são nos revelados por estarmos com os olhos fechados....cerrados pela ignorância...pela desculpa do depois...mais eles tinham sido abertos..e eu via claramente..com total nitidez tudo...cada gota de chuva...cada raio de sol...cada sopro de vento...o mais doce do som...era minha comunhão comigo...minha entrega ao Amor...
Estar com ela era como poder abraçar o amor....era como sentir o amor...não falo simplesmente de senti-lo dentro de nós...não falo de senti-lo dentro do peito, apenas como um mero sentimento humano...fazendo o coração bater acelerado...a respiração ficar ofegante...falo do amor impossível de dizer com palavras.... do amor conquistado quando duas almas dançam juntas a mesma musica...ouvem a mesma melodia...
E a nossa alma dançava esta melodia....nossas almas bailava...se movimentavam num único compasso...com as letras escritas pela mão do desconhecido...
Voávamos pelo espaço....sem o tempo....éramos a brisa...e o suor que escorria dos nossos corpos após amarmos..após nos entregarmos entre braços e pernas...entre sexo e desejos...era como o orvalho de um manha...um orvalho não frio...mais quente...limpido...fresco...
Nosso amor era daquele que não sabemos como explicar..mais que sabemos que existe..que esta lá em algum lugar..escondido...guardado...
E de algum modo ele se revelou...ele se apresentou para mim...e eu não pude fazer mais nada que dar a mão a ele..e fazer com que ele nunca saísse do nosso meio...
Eu plantei ele dentro de mim...o vi crescer...criar raízes....chegar a altura dos céus...vi suas copas serem sacudidas toda vez que ela se aproximava....
O Amor tinha nos Unido...nos colados as Almas...
Despertado nossos espíritos...
Um amor concreto..tangivel...daquele que a gente toca...daquele que a gente abraça...que a gente acaricia com as pontas dos dedos...sorve com os lábios... que se não pode olhar...não diretamente pois pode correr o risco de cegar-se...
Era esse amor que via quando estava com ela....um amor poderoso...imenso...que me consumia e quando percebia estava já em labaredas altas...expelindo chamas incandescentes de satisfação....explodindo...Meu Deus tudo era tão intenso...tudo era tão maravilhoso...tão ecantadoramente magico...
Quando nos beijávamos eu podia num segundo tocar uma estrela no ceú e no outro estar ali novamente com ela...eu podia ir no mais profundo oceano...e no outro instante voltar ali para seu lado....eu podia viajar no mais longiquo lugar do universo e voltar antes que seu coração batesse mais uma vez...
Eu a desejava....um desejo que me enlouquecia....que me fazia esquecer qualquer coisa que estivesse pensando naquele momento...te-la nos meu braços..tocar seu rosto branco, macio...ver seus olhos negros brilharem era como olhar um raio de luz no crepúsculo...uma centelha do desconhecido...daquele desconhecido sem nome...sem explicação...mais que sabemos que estar por ai...que nos rodeia....
Ela era meu elixir...minha vida...meu sangue....minha metade....
E todos os dias...nestes que ainda me restam...toda vez que abro o portão do cemitério...quando piso no cascalho de pedras espalhadas no caminho que leva ate o seu túmulo...eu me lembro como se ainda estivesse aqui...vejo seu sorriso..ouço sua voz..sinto o cheiro de sua pele....volto lá para lhe levar a flor que ela mais gostava....uma rosa...e espero o momento que meu corpo também não aguente mais andar sobre este mundo...para minha alma então se juntar ao dela em algum lugar...

7 comentários:

FRAN "O Samurai" disse...

Olá amigo!

Tenho que bater palmas aqui para seu texto, para sua confissão!

O amor é isso, ele é único e ultrapassa os dias, ultrapassa vida, ultrapassa o tempo! Ele é eterno nos corações que se encontram na verdade desse amor que "quase" não existe!

Grande rapaz, tu vai longe!

Abraço.

Olavo disse...

Cara uma excelente narrativa de um amor lindo.
com um final um tanto triste..mas de força.
Cada dia melhor.
Abraços

alex e! disse...

...o amor e a paixão têm mesmo essa capacidade de nos tirar o pé do chão, de fazer com que nos falte o ar, de preencher todos os espaços do nosso ser. Porém, quando se vai, também deixa um vazio enorme, e por isso sempre me questiono se vale a pena. No final das contas, acabo aceitando os riscos...

abraço do alex....

sonho disse...

Texto magnifico até cortou a respiração:)
O amor a paixão o desejo...teem a capacidade de nos deixarem assim...
Beijo de um anjo

Pedro Antônio disse...

Oi, Ademerson!

Você, como sempre, tão gentil em suas palavras.

Belo texto! Falar de amor é algo maravilhoso: nos liberta, nos ilumina!...

Viver o amor é uma coisa ainda mais especial!

Abração.

Pedro Antônio

BM disse...

O sentimento mais belo e forte do mundo, representando por belas e fortes palavras!!!

Abraço =)

rui disse...

Ademerson..boa tardes amigo...
nao queria ser repetitivo..e voce até ja reparou que nao sou desses.
Eu vou ser serio.... nao tenho capacidade para falar deste seu trabalho..tem principio meio e fim
Tá belo..apaixona..mesmo acabando "mal"..porque mete morte....
mas se ela näo tivesse acontecido
nao seria tao belo..........

olha amigo...nao conheco por aqui
ninguem tao expressivo como voce
todas narracoes aqui neste seu espaco....estäo belas..perfeitas..
dignas de um escritor famoso...

para mim voce já é...........

aproveito para te desejar um dia da MAE..que é hoje ai no Brasil...
muito feliz...muito mesmo...
e cuida bem dela....e sabes porque?
EU SEI QUE SABES....Mae há só uma
e temos que cuidar bem dela até fim da sua Vida...

um abraco,,,,,fica bem e obrigada por passares sempre que podes pelo meu blog........
Rui