"Quero poder andar por ai.Conhecer lugares e pessoas. Quero amar e dizer que o amor não é apenas um conto, Mais uma realidade."

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Dias de chuva

Já falei do meu gosto pela chuva,
Da forma que me paraliso quando ela se manifesta,
Da minha paixão de ver a gotas cairem no chão, do barulho que faz no telhado, tamborilando até virarem pequenas cahoeiras a descer pelas calhas,
Gosto do cheiro de terra molhada que logo fica depois,
Gosto de vê-la fluir límpida dos céus, banhar tudo que encontra pela frente,
Ela vem, lava e tudo se torna novo, limpo.
Não falo das tempestades que chegam e arrastam tudo que encontram pelo caminho,
Não falo da fúria que as vezes os céus desaba e que parte da culpa tambem é do homem,
Pois sabemos que essa fúria a natureza possui sim,
Mais se vem dessa forma é por que esta cansada de ser também castigada.
E assim se protege da mesma forma que seu inimigo faz, destruindo.
Nos dias de chuva me recolho em um canto meu,
Não quero falar, não quero pensar, apenas ouvir o barulho dela gritando pelo mundo,
Fico observando as gotas descerem até atingir seu ponto final,
Explodirem em milhares de outras gotinhas,
Quando posso toco em algumas gotas e deixo elas escorrerem pelos meus dedos,
Molhar minha mão,
Água fria,
Àgua que sempre existiu, que já percorreu grandes caminhos,
Nesse momento sou essa agua que cai,
Que flui,
Que me lava, me toca,
Adoro esses dias de chuva,
Adoro os dias em que também sou uma gota e me perco na chuva.

Um comentário:

Reginaldo disse...

Adoro chuva também
e sempre sinto que minha alma dita poética renasce, as sementes adomrcedidas acordam querendo viver... obrigadu plo seu talento